O mercado de venda on-line está em plena mudança e a abertura da possibilidade dos lojistas venderem seus produtos através de diferentes marketplaces traz muitas novas oportunidades e também ameaças. Entre as ameaças, está a complexidade de gerenciar preço, estoque, pedidos e SAC em cada um desses canais de venda, gerando aumento de custo operacional e ao mesmo tempo forçando a redução de preços pela alta competitividade desses novos canais.

Só existe uma saída ao lojista: Reduzir custos operacionais para manter a rentabilidade saudável e ter muito clara sua estratégia de atuação em cada marketplace. Nessa linha, os hubs integradores podem ser um grande apoio, pois embora alguns ERPs e plataformas de e-commerce realizem a integração, o foco de atuação dos hubs é muito mais focado no trabalho com marketplaces, desenvolvendo funcionalidades muito mais aderentes e competitivas para quem quer algo especialista na operação com marketplace, além de conseguir acompanhar mais fácil e rapidamente a mudança desse novo mercado.

Um exemplo é que somente nesse ano de 2016, até a presente data, três novos grandes sites de vendas on-line se abriram para marketplace. Com um integrador (Marketplace Hub), você pode estar nesses novos canais muito mais rapidamente, do que utilizando uma solução interna ou plataforma de e-commerce.
Por trás das maiores ferramentas de Hub, são centenas de profissionais focados somente em integração, o que traz muita velocidade na evolução da ferramenta.

Além disso, as melhores ferramentas (Marketplace Hubs) não se preocupam em somente atualizar o preço que recebe do ERP ou plataforma de e-commerce nos marketplaces, mas como precifica-se corretamente para que você tenha preços diferentes e garanta sua rentabilidade em cada marketplace, com aderência a sólidos conceitos de precificação com base em mark-ups.

Hoje é possível liberar até sua última unidade para venda em todos os marketplaces, com controle de pedidos pendentes de aprovação habilitado, sem que se reserve quantidades para cada canal de venda.

Controla-se estoques físicos e estoques cross-docking inclusive com preços diferentes, de forma que quando o estoque físico acaba, o sistema automaticamente já envia para os marketplaces o estoque que ainda pode estar no distribuidor, com um prazo de entrega maior e inclusive com possibilidade de preço diferente.

Que tal um robô que abre um SAC automaticamente na CNOVA quando o correio atrasa a entrega ou quando o cliente precisa ir na agência retirar o produto? Sem que precise de um funcionário para fazer isso?
Tudo isso automaticamente, sem que o usuário ou pessoa precise intervir. Reduzindo assim os custos operacionais e permitindo que o lojista pratique preços mais competitivos com rentabilidade.

Dessa forma, as ferramentas de integração (Marketplace Hubs) sempre serão uma alternativa melhor para quem realmente quer competir nesse novo mercado, pois evoluem mais rapidamente e possuem maior mix de funcionalidades para facilitar a sua operação com marketplaces.

Fonte

Assuntos Relacionados

Negócios
17 de setembro de 2018

Omnicanalidade: Catálogo Marketplace em lojas físicas

A Via Varejo tem se voltado cada vez mais à estratégia omnicanal, com o intuito de proporcionar a melhor experiência de compra ao cliente, além de expandir a oferta de...
Dicas & Insights
11 de setembro de 2018

Tracking de pedidos: Qual a sua importância no e-commerce?

Adquirir produtos e serviços pela internet é um hábito que vem se consolidando no dia a dia dos brasileiros, que têm demonstrado maior confiança na realização de transações online, além...
Fique por Dentro
24 de agosto de 2018

Quick Tip #12: Como melhorar as vendas no marketplace?

Como o Marketplace funciona e quais os benefícios você certamente já sabe! Por isso, essa semana nosso time traz algumas dicas para melhorar as vendas e impulsionar seus resultados no e-commerce! Acompanhe...